OBS de 22/09/2016: Queridos leitores, infelizmente o site Jornal |Jardins,teve um problema e as fot

Minha foto

Sou uma apaixonada pela vida, sem limites pra sonhar...
Sou determinada, e adoro as coisas simples da vida... Não gosto de nada mal resolvido, sou preto no branco,o cinza não me convence...Sou sincera e verdadeira e só gosto de me relacionar com gente assim...
Pessoas, que como eu, tem atitude pra mudar o que não está bom, não se conforma, nem se acomoda com o mais ou menos....Ou está bom, ou a gente faz ficar.
A FELICIDADE ESTA EM NOSSAS MÃOS E DE MAIS NINGUEM.
POR ISSO ACORDA MENINA.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

FRAGRÃNCIAS QUE MARCARAM A DÉCADA DE 60

Muita gente se pergunta de onde vem a inspiração para os perfumistas criarem os perfumes mais icônicos que conhecemos. A verdade é que muito do que acontece no mundo, os ideais, pensamentos e revoluções influencia esses criadores na hora de desenvolverem suas fragrâncias. E é um pouco dessa história entre cultura e perfumes que vamos trazer neste post.
 Prontas para um mergulho no túnel do tempo?
Beatles, revolução sexual, Woodstock. O flower power dessa geração representava o anticonformismo da sociedade. As fragrâncias pegaram carona e se focaram nas notas florais, favoritas até os dias de hoje.
Sem surpresas, os perfumes que mais se destacaram foram aqueles que fugiram das tradicionais fragrâncias mais suaves e apostaram em notas mais significantes e representativas.

Ô DE LANCÔME


Lançado em 1969, o Ô de Lancôme é um sucesso até hoje. Ele inovou a refrescância cítrica ao introduzir a primeira fragrância de longa duração “eau fraiche” (fresca, leve). Assim como a década, ele é dinâmico, alegre, espontâneo e natural. Da leveza à sensação de êxtase, é um perfume que transcende e resulta em um belíssimo frasco verde que lembra gotas de orvalho pela manhã. Impossível não lembrar dos hippies sentados ao sol em extensos campos verdes…

EAU SAUVAGE DA DIOR


Lançado em 1966, o Eau Sauvage da Dior é considerado uma obra prima dentro da categoria dos perfumes masculinos. A Dior capturou perfeitamente a refrescância cítrica, mas foi além ao incluir uma faceta floral, incomum até então para os perfumes masculinos, mas perfeitamente adequada à sua época de criação. O resultado? Um campeão de vendas.

CALANDRE DE PACO RABANNE


Um clássico, também de 1969, Calandre, de Paco Rabanne representa bem o poder das notas florais nesta década. Bastante feminino e refinado, ele é bastante procurado até hoje por mulheres determinadas, de pensamento moderno e sofisticadas. O design do seu frasco revela esse espírito visionário, muito à frente do seu tempo.

Já conhecia algum desses perfumes? Caso sim, conta pra gente nos comentários qual o seu favorito!

fotos:
divulgação

fonte: