OBS de 22/09/2016: Queridos leitores, infelizmente o site Jornal |Jardins,teve um problema e as fot

Minha foto

Sou uma apaixonada pela vida, sem limites pra sonhar...
Sou determinada, e adoro as coisas simples da vida... Não gosto de nada mal resolvido, sou preto no branco,o cinza não me convence...Sou sincera e verdadeira e só gosto de me relacionar com gente assim...
Pessoas, que como eu, tem atitude pra mudar o que não está bom, não se conforma, nem se acomoda com o mais ou menos....Ou está bom, ou a gente faz ficar.
A FELICIDADE ESTA EM NOSSAS MÃOS E DE MAIS NINGUEM.
POR ISSO ACORDA MENINA.

sábado, 6 de julho de 2013

ÍCONES DA PUBLICIDADE BRASILEIRA DPZ, COMEMORA 45 ANOS

Nesta segunda-feira, 1° de Julho, a DPZ, um dos maiores ícones da publicidade brasileira, completa 45 anos. O aniversário veio acompanhado do anúncio da criação de uma nova unidade de negócios, focada em soluções de comunicação e inteligência de mercado voltada para o setor imobiliário. A área será comandada por Karina Oliva Taliberti. Para conseguir criar estratégias eficazes, a agência irá usar 21 softwares que cruzam dados demográficos, regionais e de consumo, dentre outros. 
Os três sócios-fundadores ((a partir da esquerda): Zaragoza, Duailibi e Petit - em 1968
Apesar da nova frente de trabalho, a agência vive um período de incertezas sobre seu futuro. Este deve ser o último aniversário da agência tendo seus fundadores como sócios. Em dezembro, Roberto Duailibi (77), Francesc Petit (79) e José Zaragoza (83), venderão os 10% que cada um detém desde que o controle acionário da agência passou às mãos do Publicis Groupe, em julho de 2011, numa transação estimada em US$ 120 milhões.
O destino da DPZ, dos sócios e do CEO Flavio Conti (há 41 anos na casa) ainda é uma incógnita. “Propaganda é uma coisa muito dinâmica, não dá para traçar planos do que se vai fazer. Devemos aguardar o final do ano, ver o que nós resolvemos com o Publicis Groupe e tomar uma decisão. Fala-se em fusões com outras empresas, fala-se da DPZ ser mantida em voo solo”, pondera Conti. “Pode acontecer muita coisa. Acredito que do dia a dia da operação eles (Duailibi, Petit e Zaragoza) devem sair. Mas o DNA, a filosofia de trabalho que essa empresa implementou, será mantida”, aposta.
Enquanto são sócios, os três fundadores integram o board da agência com outros seis profissionais: o CEO Conti (que preside o conselho) e cinco representantes do Publicis Groupe. Por ora, ninguém fala em aposentadoria depois da venda da participação na agência. “O Petit queria ficar”, diz Zaragoza. “E eu não pretendo sair. Se quiserem que fique, eu fico. Moro perto daqui e daqui vou para meu estúdio. Diverte-me vir aqui. Gosto de brincar com o pessoal.”
Duailibi é o único que acena com a possibilidade de sair completamente da DPZ — e assumir desafios em outras searas. “Tenho um sentimento de missão cumprida e vejo esse momento com muita alegria, até”, avalia. “Passo a esperar que a data chegue. É um ciclo que se encerra.” Sobre um aspecto, no entanto, não há dúvidas. Qualquer que seja o futuro da DPZ, permanecerá impassível o legado que Duailibi, Petit e Zaragoza deixam para a publicidade brasileira.

foto: divulgação
fonte:
http://www.meioemensagem.com.br