OBS de 22/09/2016: Queridos leitores, infelizmente o site Jornal |Jardins,teve um problema e as fot

Minha foto

Sou uma apaixonada pela vida, sem limites pra sonhar...
Sou determinada, e adoro as coisas simples da vida... Não gosto de nada mal resolvido, sou preto no branco,o cinza não me convence...Sou sincera e verdadeira e só gosto de me relacionar com gente assim...
Pessoas, que como eu, tem atitude pra mudar o que não está bom, não se conforma, nem se acomoda com o mais ou menos....Ou está bom, ou a gente faz ficar.
A FELICIDADE ESTA EM NOSSAS MÃOS E DE MAIS NINGUEM.
POR ISSO ACORDA MENINA.

domingo, 10 de abril de 2011

PARABENS REI ROBERTO CARLOS


JOVEM GUARDA 


Bolo dos 70 anos será cortado no palco, dia 19, em Vitória (ES) 

Roberto Carlos Braga nasceu em 19 de abril de 1941, no Dia do Índio, na antiga Rua Índios Crenaques, em Cachoeiro de Itapemirim, às 5 horas da manhã. Tinha 42 cm e pesava 2,250 kg, um dos quatro filhos do 

relojoeiro Robertino Braga  e da dona de casa Laura Braga (Lady Laura) 
Aos 6 anos, sofreu um acidente trágico - foi atropelado por um trem e perdeu parte da perna direita. O drama está registrado em verso de uma música, O Divã: "Relembro bem a festa, o apito, e na multidão um grito, o sangue no linho branco..."


O INÍCIO
Em 1955, aos 14 anos, começou sua carreira no rádio, inicialmente se apresentando com o Conjunto de Ritmos de Zé Nogueira, como  cantor convidado.
 E foi com Zé Nogueira, que  Roberto, ainda dolescente, aprendeu os primeiro acordes com o violão. No dia 12 de agosto de 1955, estreou na Rádio Cachoeiro. Dali, cantaria na Rádio Nacional, no programa de calouros A Hora do Pato. Aos 15 anos, mudou-se para Niterói, em busca de realizar seu sonho: seguir a carreira de cantor

 Em 1957, formou, com Tim Maia, o grupo The Sputniks. Em 1958, conheceu Erasmo Carlos.

Em 1958, ainda pelas mãos de Otávio Terceiro, conheceu "a turma da Rua Matoso" (Tijuca), grupo de rapazes liderados por Erasmo Carlos, e com eles formou o conjunto The Snacks, título inspirado no Bar Snack, de Copacabana, onde costumavam ir e que era freqüentado pelos lambretistas. Além dele, faziam parte do conjunto, que depois se chamou The Sputniks, Erasmo Carlos, Tim Maia, China, Arlênio e Trindade.
Antes de se desfazer, em fins de 1958, o grupo chegou a tocar nos clubes da Tijuca e em programas como o Clube do Rock, apresentado por Carlos Imperial, na TV Continental, do Rio de Janeiro.

Depois de uma tentativa de alcançar o sucesso cantando como João Gilberto, que causou rejeição entre a turma da bossa, Roberto chegou ao rock’n’roll.
Do período da bossa, sobrou um disco que ele renega, Louco por Você
Mas, em 1963, já tinha um sucesso, Splish Splash. Gravando e tocando com The Youngsters e Renato e Seus Blue Caps, ele subiu.
 No mesmo ano, duas músicas estouraram nas rádios de Rio e São Paulo: Parei na Contramão e Na Lua Não Há. 
Em 1965, ele foi convidado pela Record para apresentar o programa Jovem Guarda. E a juventude do Brasil Brasil parou para assistir

Em 1968, ganhou o Festival de San Remo.

EMOÇÕES
O romantismo de clássicos como Emoções e Outra Vez (de Isolda) marca a década, assim como as canções mais eróticas do cancioneiro do Rei. Emoções foi composta em Belém do Pará, entre o hotel e o aeroporto. Erasmo ajudou a finalizar e a big band do maestro Torrie Zito, que trabalhou com Frank Sinatra, compareceu no arranjo. Em 1983, realizou a maior turnê de um artista nacional, 120 apresentações em um ano, número só igualado pelos Rolling Stones. Viajava num Boeing 737 com seu nome pintado na fuselagem.
Enão parou mais, sucesso atras de sucesso, sempre falando de amor.
Afinal ele é o rei

2010

SAMBA NO PÉ
Setentão, Roberto vive momento especial. Depois de ter sido tema da escola de samba Beija-Flor, e ter tido a alegria de ver a escola campeã com o enredo, ele foi até a quadra comemorar com os súditos, sambando. 

fotos: divulgação