OBS de 22/09/2016: Queridos leitores, infelizmente o site Jornal |Jardins,teve um problema e as fot

Minha foto

Sou uma apaixonada pela vida, sem limites pra sonhar...
Sou determinada, e adoro as coisas simples da vida... Não gosto de nada mal resolvido, sou preto no branco,o cinza não me convence...Sou sincera e verdadeira e só gosto de me relacionar com gente assim...
Pessoas, que como eu, tem atitude pra mudar o que não está bom, não se conforma, nem se acomoda com o mais ou menos....Ou está bom, ou a gente faz ficar.
A FELICIDADE ESTA EM NOSSAS MÃOS E DE MAIS NINGUEM.
POR ISSO ACORDA MENINA.

sábado, 23 de março de 2013

RITA HAYORTH - DIVA DOS ANOS 40

Seu nome artístico verdadeiro era Margarita Carmen Cansino, nascida em Nova Iorque, 17 de outubro de 1918 e atingiu o auge na década de 1940, tornando-se um mito eterno do cinema.


De origem hispano-irlandesa, dançava na escola de seu pai desde criança, o que no futuro lhe rendeu oportunidades no cinema pelos seus dotes como dançarina. No entanto, no início de sua carreira, os produtores a escalavam apenas para papéis hispânicos.

RITA COM PAIS E IRMÃO 
CURIOSIDADE:
 Pensando em ampliar sua área de atuação no cinema, dizem que Rita mudou a cor dos cabelos castanhos para o tom ruivo e que passou por uma dolorosa eletrólise para aumentar a testa e acentuar o “pico de viúva” – aquela entrada do cabelo que forma um V na testa e dá um ar de coração para o rosto. Dá uma olhada.
Em 1940 sua sorte começou a mudar e passou a ser reconhecida como uma das maiores dançarinas das telas e a maior estrela romântica dos anos 40. Em meio ao sucesso veio a crise do casamento que culminou em divórcio.
Seu grande marco no cinema foi com certeza o filme Gilda, com a cena marcante, ainda que brevíssimo, do striptease de Rita e a bofetada que ela recebe de Ford, ajudaram a aumentar a enorme bilheteria do filme no mundo todo.
Depois de Gilda, nunca mais Rita conseguiu repetir esse êxito, apesar de ter continuado a trabalhar em produções de sucesso. Não é a toa que a frase “nunca houve uma mulher como Gilda”, marcou sua carreira, impedindo qualquer outra personagem de ser tão lembrada como Gilda.
Rita casou-se cinco vezes e todos terminaram em divórcios. Gilda teve sua primeira filha Rebecca em seu segundo casamento e a segunda filha Yasmin, veio do terceiro casamento com o príncipe Ali Solomone Aga Khan.


ESTILO DE RITA HAYWORTH
Rita Hayworth, apesar de ter originalmente os cabelos castanhos e ter se tornado loira, representa a eterna diva ruiva do cinema.
Seu cabelo ondulado foram sua marca registrada e foram referência na época e nos dias de hoje. Seu rosto é lembrado por um dos mais bonitos e perfeitos do cinema.

No seu dia-a-dia uma das marcas de Rita eram as calças, que vestia como ninguém. A foto do meio gera controvérsia, já que em alguns lugares está registrado como saia e em outros como pantalona.
PARA VOCE DECIDIR.

 É ou não é uma grande diva que merece ser lembrada?

Rita morreu na casa de sua filha, Yasmin, em Nova Iorque, aos 69 anos, vítima do mal de Alzheimer, do qual padecia desde a década de 60, mas que só foi diagnosticado em 1980.

MAIS ALGUMAS CURIOSIDADES:
Rita Hayworth em maio de 49 casou com o principe Ally Khan, então foi Rita e não Grace Kelly, a primeira atriz de cinema a se tornar uma princesa.
Rita é uma das atrizes citadas na música Vogue de Madonna.
No filme Um lugar chamado Notting Hill, Julia Roberts, como Anna Scott menciona uma das famosas citações de Rita “Os homens apaixonavam-se por Gilda, mas acordavam comigo”.
É ou não é uma grande diva que merece ser lembrada?

fotos: divulgação

fonte:
http://rafaelando.wordpress.com/2012/02/22/divas-dos-anos-40-rita-hayworth/