OBS de 22/09/2016: Queridos leitores, infelizmente o site Jornal |Jardins,teve um problema e as fot

Minha foto

Sou uma apaixonada pela vida, sem limites pra sonhar...
Sou determinada, e adoro as coisas simples da vida... Não gosto de nada mal resolvido, sou preto no branco,o cinza não me convence...Sou sincera e verdadeira e só gosto de me relacionar com gente assim...
Pessoas, que como eu, tem atitude pra mudar o que não está bom, não se conforma, nem se acomoda com o mais ou menos....Ou está bom, ou a gente faz ficar.
A FELICIDADE ESTA EM NOSSAS MÃOS E DE MAIS NINGUEM.
POR ISSO ACORDA MENINA.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Rainha da Suécia vem ao Brasil defender as crianças, em noite no Municipal

 Para divulgar o trabalho de sua fundação, a Childhood Brasil, na luta contra a exploração e o abuso sexual de crianças e adolescentes, a rainha Silvia da Suécia promoveu dia 18/05, no Teatro Municipal, um super-espetáculo com direção-geral de Monique Gardenberg, direção musical de Guto Graça Mello, cenário de Gringo Cardia, iluminação de Quinderé e figurinos de Cao Albuquerque, reunindo no palco Ana Botafogo, Caetano Veloso, Djavan, Maria Gadú, Milton Nascimento, Patrícia Pillar. Filha de uma brasileira com um alemão, a rainha da Suécia viveu a infância e a adolescência em São Paulo e fala um português fluente. É amável, simpática, muito acessível, sem um pingo de esnobismo. Atitudes de uma verdadeira rainha, enfim!


Fazia frio na noite dessa terça-feira no Rio e a lua estava cheia, linda. Foi este o cenário para que a rainha Silvia da Suécia chegasse ao Theatro Municipal pontualmente às 20h30.

Protegida da chuva,  a rainha Silvia  sobe a escadaria do Municipal, com Adriana Ancelmo

Rainha Silvia, o governador Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo


Rainha Silvia e   Adriana Ancelmo 

 A rainha Silvia estava bem à vontade, cumprimentou algumas pessoas, posou para fotos e seguiu para seu camarote. 

Sandra de Sá e Seu Jorge, Milton Nascimento, Djavan e Caetano Veloso, Renata Sorrah, Patrícia Pillar, Maria Gadú, rainha Silvia da Suécia, Maria Bethânica e as crianças no palco: a festa da Childhood Brasil, no Rio, foi um sucesso.

O espetáculo em si começou com a bateria do Olodum de costas para a plateia e Rodrigo Costa, do projeto Nós do Morro, cantando "Adota Eu". No fim da música, a cantora Maria Gadú se juntou a ele e o cenário se transformou numa explosão dourada.
Caetano Veloso emocionou todos cantando "Help", dos Beatles, acompanhado só de um violão. Depois foi a vez de Djavan cantar "Oceano", com o coro de toda a plateia, claro, já que todo mundo sabe os versos desta música. Para completar a sequência de grandes talentos, Milton Nascimento também soltou a voz.

A seleção das músicas, aliás, seguiu o tema da noite, e outro momento especial foi quando Sandy, acompanhada pelo pianista Marcelo Bratke, embalou um pas de deux dos bailarinos Ana Botafogo e Thiago Soares, integrante do Royal Ballet de Londres.

 Sandra de Sá e Seu Jorge, acompanhados da bateria mirim da Mangueira, deram show de ginga e batucada com rosas ao fundo - a cenografia de Gringo Cardia estava um espetáculo à parte. Para encerrar, Bethânia fez todo mundo cantar "O Que É, o Que É".

 Entre uma música e outra, que de alguma forma sempre faziam referência à infância, os artistas lembravam da importância de proteger as crianças e, ao fim do grande show, todos voltaram ao palco do Theatro Municipal, impecável após a reforma. Foi, sem dúvida, uma noite emocionante.

fotos: Juliana Rezende, Sebastião Marinho